quarta-feira, 30 de junho de 2010

I've got a feeling

"I've got a feeling, a feeling deep inside
Oh yeah, Oh yeah. (that's right.)
I've got a feeling, a feeling I can't hide
Oh no. no. Oh no! Oh no.
Yeah! Yeah! I've got a feeling. Yeah!

Oh please believe me, I'd hate to miss the train
Oh yeah, yeah, oh yeah.
And if you leave me I won't be late again
Oh no, oh no, oh no.
Yeah Yeah I've got a feeling, yeah.
I got a feeling.

All these years I've been wandering around,
Wondering how come nobody told me
All that I was looking for was somebody
Who looked like you.

I've got a feeling that keeps me on my toes
Oh yeah, Oh yeah.
I've got a feeling, I think that everybody knows.
Oh yeah, Oh yeah, Oh yeah.
Yeah! Yeah! I've got a feeling. Yeah!

Ev'rybody had a hard year.
Ev'rybody had a good time.
Ev'rybody had a wet dream.
Ev'rybody saw the sunshine.
Oh yeah, Oh yeah. Oh Yeah.
Ev'rybody had a good year.
Ev'rybody let their hair down.
Ev'rybody pulled their socks up. (yeah.)
Ev'rybody put their foot down.
Oh yeah. Yeah!"


The Beatles

terça-feira, 22 de junho de 2010

Me disseram um dia desses que eu tenho jeito de moleca. Que as vezes é difícil me levar a sério assim, de primeira, porque eu estou sempre brincando ou fazendo uma piada. Falaram da minha falta de freio e de tato pra falar certas coisas. Que parece coisa de quem não pensa muito antes de falar. E perceberam o lado bom nisso. Eu estou feliz ultimamente. Percalços a vida sempre vai ter, mas no geral está tudo mais positivo do que negativo. Saldo positivo é sempre boa notícia. Acho que isso transparece em tudo. Até mesmo em não ter medo de falar as coisas, seja pra quem for. Ou de trabalhar e se divertir com isso. É sério, dá certo quando a gente faz o que ama! Ou ainda de andar sorrindo sem motivo, de fazer piadas infames com situações cotidianas só pra liberar a tensão, de sair correndo e deslizar no corredor antes de abrir aporta, de andar saltitando só porque é legal. Quem fala o que quer pode ouvir o que não quer, mas também pode ouvir coisas boas. Quem se aventura, mesmo que não alcance todos os sus objetivos, sente o friozinho na barriga quando tenta chegar um pouco mais longe.

Se sou uma moleca? Sim, sou! E quero chegar aos 70, 80 anos ainda sendo.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

TPM

Eu odeio tpm. Mas é um ódio tão profundo e intenso que eu não sei como sou capaz de sentir isso. Minha cabeça dói de uma maneira que meu nariz está escorrendo, mal consigo abrir os olhos e ainda assim tenho que trabalhar intensamente. Parece que eu fui atropelada por um caminhão e quando tava levantando passou um ônibus por cima.

Obrigada, hormônios, não(?) sei o que eu faria sem vocês!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Qual o conceito de perfeição pra você?

Não sei muito bem por que esse assunto me chegou a cabeça nesse instante e gerou uma série de reflexões-relâmpago. Não vou mentir que adoro quando isso acontece. Tudo bem que as vezes parece meio forçado querer racionalizar certas coisas, mas estava aqui com meus botões pensando nesta tal de perfeição e cheguei a algumas conclusões.

No trabalho posso dizer que busco a perfeição. Cada passo que dou é em busca do melhor resultado. Um resultado mediano pra mim não serve. Mais ou menos é sempre menos. Um trabalho completo, coeso, claro, que atinge os objetivos propostos, surpreende e é acessível a todos os que se relacionam com ele pra mim é perfeito. E é isso que eu busco dia após dia.

Na vida pessoal, no entanto, as coisas mudam completamente de figura. E foi aí que nessa minha ligeira mas profunda análise da perfeição me percebi mais humana que nunca. Eu gosto de falhas. Gosto de pessoas imperfeitas. Gosto de perceber que o que torna uma pessoa diferente da outra são os seus pequenos desvios. Posso dizer que gosto dos meus pelas suas qualidades, mas os amo pelo seus defeitos. E um nunca é igual ao outro.

Pensando nisso lembrei de um exemplo que pode ilustrar bem essa questão. Posso dizer que sou uma fã de peças preciosas. Não de jóias especificamente, mas de pedras. A beleza de um cristal sob um raio de luz é indescritível. Percebi, no entanto, que apesar de gostar das pedras perfeitas e bem lapidadas, as minhas preferidas são as imperfeitas. Um cristal rutilado é uma das pedras mais lindas que existe (bota no google imagens e você vai entender). Eu tenho ainda um anel de granada que possui umas bolhinhas de ar dentro, por esse defeito comprei um anel único e com desconto!

Cheguei a conclusão que a perfeição é um engodo. Uma coisa que colocam na sua cabeça. Buscar a perfeição é querer atingir o inatingível. Como profissional esse é o meu trabalho: chegar cada vez mais longe. Nos outros campos da minha vida faço exatamente o contrário: busco as imperfeições mais características e únicas de cada pessoa, tornando essas as suas qualidades mais queridas pra mim.